Benevita Wellness Assessoria Esportiva não recomenda treinos ao ar livre durante a Covid-19. Entenda os motivos.

Compartilhar:
Imagem ilustra uma pessoa correndo a 14,4km/h e suas gotículas de saliva se locomovendo para atrás, podendo infectar alguém que vem logo na sequência. Foto: Universidade de Tecnologia de Eindhoven

Estudo aponta que os praticantes de atividades físicas ao ar livre deixam ‘rastro’ de gotículas capazes de transmitir vírus

Sabemos que a prática esportiva ao ar livre é prazerosa e, por isso, muitas das aulas da Benevita Wellness são realizadas nos parques. Porém, neste período de pandemia do Covid-19 é preciso ter muito cuidado com a saúde, tanto para não ser contaminado quanto para não contaminar ao próximo. Um novo estudo realizado pela Universidade Católica de Leuven, na Bélgica, e pela Universidade de Tecnologia de Eindhoven, na Holanda, recomenda que as pessoas mantenham distância de até 20 metros umas das outras durante a realização dos exercícios físicos ao ar livre, a depender da atividade.

Os pesquisadores (que estudam aerodinâmica e, portanto, não são infectologistas) analisaram diversas simulações computadorizadas dos movimentos realizados durante a caminhada, a corrida e a pedalada e visualizaram que as gotículas de saliva emitidas pelas pessoas durante esses exercícios ficam no ar logo atrás delas enquanto se movimentam. E essas gotículas são a forma de transmissão de vírus em geral, incluindo o Covid-19.

Clique na imagem animada abaixo e veja os caminhos que as gotículas de saliva fazem quando uma pessoa caminha ao lado da outra, atrás da outra ou na diagonal:

Animação: Universidade de Tecnologia de Eindhoven

Considerando que essas gotículas são a forma de transmissão de vírus em geral, incluindo o Covid-19, o estudo concluiu que cada modalidade exige um nível de distanciamento diferente para não haver risco do contágio:

  • Caminhada: mínimo de 4 ou 5 metros da pessoa à frente;
  • Corrida: mínimo de 10 metros da pessoa que está à sua frente;
  • Pedalada: mínimo de 20 metros da pessoa que está à sua frente.

Em entrevista ao portal G1, o professor Bert Blocken, líder do estudo, disse que se estivermos falando enquanto parados, a uma distância de 1,5 metros, as gotículas não vão alcançar a outra pessoa e vice-versa. No entanto, o mesmo não acontece quando estamos em locomoção. “O problema é quando você se mexe. Quando você está pedalando ou andando na minha frente, e respira e se move, as gotículas se movem para trás de você, no que chamamos de ‘corrente de ar’. E, como as gotículas são muito leves, precisam de algum tempo para chegar ao chão. Mas, se eu estou correndo muito perto atrás de você, eu vou respirar e inalar a sua nuvem de gotículas”, alertou.

O estudo ainda não foi publicado em revistas científicas, mas já foi amplamente divulgado pelas Universidades, já que essa nova informação pode auxiliar no combate à transmissão do coronavírus.

Por isso, a recomendação da assessoria esportiva é treinar em casa, evitando, ao máximo, o treino ao ar livre, enquanto durar a pandemia do Covid-19. Os professores da Benevita Wellness estão adaptando os treinos de seus alunos, personalizando-os de acordo com a estrutura que cada um dispõe em suas residências.

#FiqueEmCasa

, , , , , , , , ,

Últimas Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Menu